domingo, agosto 01, 2010

Death at a Funeral vs Killers

Ora aqui estão dois exemplos de comédias que tinham tudo para resultar mas que são umas valentes secas, e pessoalmente, aconselho-vos a não perderem tempo com elas.

 death_at_a_funeral death_at_a_funeral 2
Vi a versão inglesa no cinema há uns anos e fartei-me de rir….mas ri-me mesmo. O filme é feito com actores desconhecidos mas resulta numa comédia negra bem disposta. Os americanos lembraram-se de fazer agora a sua versão. O que tinha de promissor? O elenco composto por Chris Rock, Tracy Morgan, Danny Glover, Martin Lawrence, Luke Wilson e James Marsden.

Não sei se foi por já conhecer a história, mas realmente não achei grande piada…As situações mais cómicas são as “mocas” de James Marsden e o anão.

Argumento: Uma família desintegrada encontra-se para o enterro do patriarca. Quando um homem misterioso aparece e ameaça chantagear a família com um embaraçoso e obscuro segredo do falecido, seus dois filhos, Aaron (Chros Rock) e Ryan (Martin Lawrence), tentam de tudo para não deixar que os presentes descubram.

Os posters são da versão americana e da versão inglesa.
 killers_ver2 killers
Katherine Heigl é a seguidora de Meg Ryan nas comédias românticas. Vi todas e gostei porque são fáceis de ver e bem dispostas. Ela tende a fazer o papel de “loirinha divertida” e mais uma vez neste filme, o papel é o mesmo. Ashton Kutcher só por si próprio é um tipo que faz rir. Este filme começa bem mas depois torna-se…parvo. A partir dos 40mn, apetece desligar porque é um misto de “Mr & Mrs Smith” mas sem a carga sexual de Jolie-Pitt. A personagem mais conseguida foi a mãe (Catherine O’Hara) que, a qualquer hora do dia, está sempre de copo na mão. Também foi giro rever Tom Selleck e o seu farfalhudo bigode, que para a idade não se encontra nada mal…

Argumento: Spencer (Ashton Kutcher) é um assassino contratado pelo governo que ao serviço em França, conhece Jen (Katherine Heigl). A paixão é tão imediata e arrebatadora que Spencer decide trocar as intrigas internacionais pela felicidade do lar. Três anos depois, agora casados, Spencer e Jen descobrem que são alvos de um golpe: assassinos profissionais vigiam o casal há muito tempo e pode ser qualquer um da vizinhança.

16 comentários:

  1. Tu "engordas" a minha lista de filmes a ver...eh eh e eu gosto.
    Keep doing it!

    ResponderEliminar
  2. Marta & Bruno: Leram o primeiro parágrafo?

    ResponderEliminar
  3. Eu até que gostei da versão dirigida pelo Frank Oz, é essa a que tu chamas de versão UK ?

    Ainda não vi os outros.

    ResponderEliminar
  4. n vi nenhum, mas nunca vi uma versao hollywoodesca de um filme europeu ou asiático que superasse o original. parece ser o caso ai nesse DAAF.
    qt ao 2º, isso tem td para ser um cagalhão, e plos vistos é mesmo. mas tom selleck é um mítico.

    ResponderEliminar
  5. Para mim o Death at a Funeral original é do melhor, adoro todos os actores que participaram nele, e fazem um elenco fantástico, não podia ser melhor! Mas ainda não vi a cópia Americana.
    O Killers estava na lista porque enfim eu gosto do Kutcher e da Cat e, mesmo tu (mestra de filmes) dizendo que é um pouco parvo, fiquei ainda mais curiosa.

    ResponderEliminar
  6. Claro que li. Mas posso vir a gostar. Acho que devo dar uma oportunidade aos filmes, nem que seja só ao segundo por causa da actriz.

    ResponderEliminar
  7. Nasp: Sim, é essa versão do Frank Oz que gostei. Chamei versão inglesa porque são todos ingles, tirando o anão (salvo erro). Devia ter dito versão original.

    Ruca: A versão original do Funeral é fixe.

    Eve: Vê o Funeral versão americana e depois diz o que achaste.

    Bruno Miguel: Só acho que com tanto bom filme que tens, vais perder tempo com estes filmes?

    ResponderEliminar
  8. ~«Ora aqui estão dois exemplos de comédias que tinham tudo para resultar mas que são umas valentes secas, e pessoalmente, aconselho-vos a não perderem tempo com elas.»
    Referes-te às duas versões. Mas depois dizes que gostaste da versão inglesa...

    Pessoalmente, adorei a inglesa. Quanto à americana bastou-me ver o trailer (e não foi por já ter visto o original)

    ResponderEliminar
  9. Esquece. Referias-te aos 2 filmes e não às 2 versões do 'Death At a Funeral'. Lento...

    ResponderEliminar
  10. Concordo com o "Death at a Funeral", mais uma vez, os americanos conseguem 'matar' um filme com um remake de treta. Gostei muito do 1º.

    ResponderEliminar
  11. Vi o primeiro filme que falaste em versão americana, acho que até na tv, e nem notei que era uma versão da história do britânico...enfim..remake de remake de remake, nunca funciona..

    http://cinemaschallenge.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. Toupeira: O remake foi mesmo fraco, sim.

    Andreia Mandim: Viste o inglês e não gostaste? É muito fixe!

    ResponderEliminar
  13. não. vi o americano, ou melhor, tava a passar na tv e vi um pouco...pareceu-me mau...e por isso dizia que nem fazia ideia que era um remake do ingles. o ingles apesar de ser tb remake de um frances, senao me engano, tem bons actores de britcom e parece me prometedor, mas na altura nao tive oportunidade de o ver.
    http://cinemaschallenge.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  14. Andreia: É impossivel teres visto na tv porque ele nem nos cinemas ainda estreou :-)

    ResponderEliminar