quinta-feira, fevereiro 20, 2014

New Kids on the Block

NCotB_hqcity_015  

A propósito dos Backstreet Boys terem cá vindo esta semana, lembrei-me de fazer este post para contar a grande pancada que eu tinha pelos New Kids on the Block (esses sim, pioneiros!).  Tudo começou quando tinha 12 anos e estava no 6º/7º ano e nas férias do Verão, havia uma rapariga do Canadá que passava férias no Baleal e que nos mostrou a discografia (até então) dos NKOTB.

Eu nunca tinha visto uma fan assim, nem sabia que elas existiam; era como nos telediscos que eu via. Ela empolgava-se a falar deles, baba-se toda e estava sempre a dizer “Oh my gosh!”. Lembro-me de levarmos o rádio à noite para os balneários onde ouvíamos as cassetes deles, especialmente o 1º álbum que só ela é que tinha porque não havia em Portugal. Mais tarde, cheguei a encomendar-lhe o livro oficial da banda que me custou uma fortuna.

Nesse ano lembro-me de ter roubado (sim, roubado) dinheiro à minha mãe. Ela tinha um frasco de moedas escondidas e eu não descansei enquanto não lhe vi o fundo. Gastava todo o dinheiro que conseguia encontrar numa loja de discos que tinha mechandising dos New Kids. Comprei singles, LPs, um colar e pouco mais porque não havia. A minha mãe todas as semanas me comprava a “Bravo” (li esta revista durante muitos anos) e eu ainda comprava (com o tal dinheiro do frasco)  a “Popcorn” e a “Smash Hits”. As duas primeiras eram em alemão e a última em Inglês e era caríssima. Só a encontrava à venda numa agência de jornais específica e não vinha todas as semanas.

A partir dessa altura comecei a forrar o meu quarto, literalmente. Todas as pareces tinham posters gigantes, grandes, pequenos, artigos de uma só página, tudo colado. Ainda tenho fotografias desses tempos. O meu quarto parecia um museu.

Andava tão obcecada que obriguei o meu grupo de amigas do ciclo a terem cada uma um nome de um New Kid. Andávamos sempre em bando e as 5 éramos os NKOTB. Uma vez a minha chega a casa e ao olhar para mim, assusta-se porque vê que acabei por fazer (fizeram-me) uns efeitos no cabelo, tipo Vanilla Ice (eu usava o cabelo curto e com um rabicho (meu deus!)). Fi-lo porque um dos membros da banda também usava.

O mais curioso é que agora olho para trás e vejo que o meu New Kid preferido, aquele por quem uma vez chorei porque estava apaixonada e tinha noção que nunca o ia ver, é gay. Na altura “não era” mas actualmente assumiu-se. É o Jonathan. Cedo demonstrou-se a minha pontaria para os homens.

20 comentários:

  1. "Step by Stepppppppp UUUU babyyyyyyy..." ahahahah, mt bom! Foi tão bom ser-se criança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alexas: Eu estava no inicio da adolescência.

      Eliminar
  2. Não é assustador que as miúdas agora olhem para...coisas...como o Justin Bieber e sintam exactamente o mesmo? O teu favorito era gay mas tinha bom aspecto!
    PS - Eu fazia o mesmo mas com os BSB...que pancada...ahahahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gata Cristina: Estas coisas fazem parte de começar a ser mulher. lol

      Eliminar
  3. loooooool
    bons tempos esses, aposto em como te ris desses tempos.
    junta esse grupo numa noite de fim de semana e conversem sobre esses tempos, vais ver que é muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Salsa: Já não me dou com essas amigas.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Sónia TM: Deves ser mesmo muito novinha :)

      Eliminar
  5. lllllooooooollllllllllll Adorei a ironia do fim do texto lololol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Namorado: Por acaso nunca me aconteceu apaixonar-me por um gajo que fosse gay mas anda lá um no ginásio a quem acho muita piada e depois descobri que joga no mesmo team que eu...pontaria!

      Eliminar
  6. Backstreet Boys é comigo mas estes não conheço!! :) Bastam uns anos para fazer alguma diferença! :D Mas tou a ver que as pancadas eram as mesmas!! nunca tive posters a minha mãe não me deixava, eram brigas enormes, mas nunca as ganhei! lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. V: Eu bem te tinha dito (a propósito do cinema) que uns anos fazem logo a diferença. BSB já eu era bem adolescente.

      Eliminar
  7. Isso é que era gostar dos NKOTB!

    Na primeira gostava das spice e todas as minhas amigas queriam ser uma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Umbelina: Na altura das Spice Girls o meu interesse já eram os rapazes :)

      Eliminar
  8. Escapei à moda das boy bands mas tinha uma amiga com uma séria pancada por esses moços e pelas revistas da Bravo também. Lembro-me de ter passado os olhos por um número que ensinava a beijar, aquilo era tipo a bíblia da miudagem da altura :D

    Não escapei foi às paredes do quarto forradas de posters e aos rios de dinheiro gastos em merchandise, mas por algo bem mais vergonhoso que uma banda de putos e já não era propriamente dito adolescente lol pancadas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isa: Não é dessa Bravo que falo. A Bravo original era em alemão e só falava de música. Nunca comprei revistas a ensinar coisas dessas. lol

      Eliminar
    2. Era a Bravo em alemão, não se percebia nada.. tinha umas foto-novelas, se bem me lembro. Coisas estranhas apareciam lá :)

      Eliminar
    3. Isa: Ah pois era! Tens razão! Somos mesmo velhas! Eheheheh!

      Eliminar
  9. Nunca fui fã deste tipo de banda, nem mesmo quando era miúda.
    Nessa altura começava já a gostar de bandas rock. Já agora...na imagem, qual deles é o Jonathan?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta: É o mais alto, o que está por cima.

      Eliminar