quinta-feira, abril 10, 2014

“Secretary” de Steven Shainberg (2002)

 secretary_ver2_xlg large_orJLdgFumMb5WjWClfuEAUrqO78

É um filme que não é para todo o tipo de pessoas. Aliás, a maioria não vai gostar e vai acha-lo uma seca e sem nexo. Eu gosto imenso deste filme.

Na época em que James Spader só fazia filmes kinky, tais como, “Sex, Lies and Videotape”, “Crash”, “White Palace”, trouxe-nos este “Secretary” onde tem um papel interessantíssimo: um advogado com o fetiche de submissão, ou seja, Mr. Grey é o dominador e Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) é a submissa.

Criam uma relação muito própria baseada no fetiche que ambos partilham. Pouco falam um com o outro mas é desta maneira que se entendem. Maggie Gyllenhaal está muito bem neste papel. É uma jovem que ainda vive com os pais, muito insegura e infantil, que tem por hábito cortar-se (cutter). Descobre no bondage uma maneira melhor de resolver os seus problemas e de viver o dia a dia; acaba por descobrir também (de novo) a sua sexualidade.

Este filme ganhou o Prémio Especial do Júri no Festival de Sundance em 2001.

Argumento: A história é clássica: o relacionamento de uma secretária com o seu patrão. Os contornos são menos ortodoxos: entre a preversão pura e o sado-masoquismo. «Secretary» é um filme provocador.

Curiosidades: Gwyneth Paltrow foi a primeira actriz escolhida para este papel.

 tumblr_mxpnqyZSzh1qg395zo1_500 tumblr_msd5zcrQCg1sd0dxwo1_500

“Who's to say that love needs to be soft and gentle?”

22 comentários:

  1. Sempre tive curiosidade para ver este filme e depois esqueço-me, vale a pena? O White Palace vi-o no cinema, minha querida Susan Sarandon.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eolo: Leste o post? Acho que já respondi a isso :)

      Eliminar
    2. Aliás, quando for assim, vê o tag. "Filmes que mais me marcaram" - esses valem sempre a pena (para mim).

      Eliminar
  2. Tambem gostei desse filme.
    O Crash então ;)

    ResponderEliminar
  3. Eu adorei o Crash e até o revi há pouco tempo, mas este nunca vi nem ouvi falar.
    Vou registar :)

    ResponderEliminar
  4. Nunca o vi! E só d ter lido que a Gwyneth Paltrow foi a primeira escolha, aí talvez não fosse numa o ver. Acho que lhe falta algo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oceano: Esta da Gwyneth também me surpreendeu. Mas lá está, ela também poderia ter feito um bom papel. Nunca saberemos...
      Mas olha que tenho a certeza que ias gostar deste filme.

      Eliminar
  5. Sou o único que partilha da opinião que este tipo de cliché servido por hollywood às massas desde sempre, contribui muitíssimo para a degradação da imagem das mulheres, passando a ideia de que são umas vacas desesperadas que adoram que o patrão lhes salte para cima na primeira oportunidade?
    Quer dizer, hoje em dia existem movimentos feministas muito aflitos com a exploração atroz da imagem da mulher no mercado da pornografia, mas este tipo de retrato ainda é pior, na minha opinião. Porque, as actrizes pornográficas sabem para o que vão, sabem que vão ser sempre put@s assumidas aos olhos da sociedade, MAS, retratar qualquer outra profissão que não a de trabalhador(a) sexual como sendo extremamente "dada" a aventuras sexuais com qualquer outra pessoa que não o namorado(a) ou marido/mulher é uma espécie de discriminação muito pior, a meu ver. Será realidade ou ficção? Por vezes, de uma à outra vai um passo de anão. Just sayin'... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Demian: Sim, és o único :) Este filme tem a ver com sexo. Uma mulher submissa na cama é-o por opção. Normalmente fora dela, é o oposto. A pornografia existe porque alguém a vê (mulheres incluídas). E sabias que ganham o triplo dos homens nesse ramo?

      Eliminar
    2. Este filme é uma batata quente se o usarmos para defesa da imagem transmitida sobre a mulher e/ou o estilo de vida BDSM. Há ali munição abundante para ambos os lados dessa discussão. Por um lado, a mulher torna-se claramente mais confiante, segura e independente como resultado da relação. Por outro, aquele tipo específico de relacionamento envolvendo uma pessoa que se encontra mentalmente desequilibrada ou fragilizada é seguramente condenável. Por isso, o filme pode ser muitas coisas, mas dificilmente o podemos categorizar como um cliché.
      Perdoem-me se estiver errado nalgum facto no meu comentário, pois há bastante tempo que não vejo este filme.

      Eliminar
    3. Ozpinhead: Gostaste do filme ou não?

      Eliminar
    4. Sim, gosto. Não me entusiasmou muito na primeira vez que o vi, mas o que é certo é que o filme não me saiu da cabeça, tanto que acabei por comprar o dvd quando o vi em promoção. Apreciei-o mais da segunda vez.

      Eliminar
    5. Ozpinhead: That's my boy!

      Eliminar
    6. Esqueci-me de referir um ponto fundamental: eu não vi o filme!!! Apenas dei a minha opinião com base no cliché secretária/empregada/criada/whatever que fornica o patrão sempre que pode. Se calhar não é o filme mais indicado para servir de mote para a discussão, por isso não vale a pena alongar-me, fica para outro (filme) que retrate melhor a sem-vergonhice em questão. x)
      (Acho muito mal que elas ganhem mais que os homens na indústria porno, visto que são eles quem tem que "mamar" com os esteróides e todas as demais drogas associadas ao crescimento do membro/manutenção da sua "dureza" durante horas a fio, e são eles quem vão sofrer as consequências disso um dia mais tarde... Já elas o máximo risco que correm é o de rebentar o silicone, de resto podem manter as pernas abertas até caírem de maduras, que não tem problema nenhum. Tá mal!) :D

      Eliminar
    7. Demian: Vamos guardar as discussões para "posts normais". É mais fácil, não achas? Os do cinema são mais complicados porque depois torna-se "off topic" e os filmes pode ser bons e não concordámos com a ideia do mesmo.

      Eliminar
  6. Também gosto muito e acho um clássico neste de cinema/filme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Duckman: Já ando com saudades de o rever!

      Eliminar
    2. O filme é muitíssimo bom.
      Foi-me recomendado por uma mulher que era sub e adorava BDSM, e pouco depois de o filme ter saído, tê-lo-ei visto aí por 2003/2004.
      Achei o filme muito bom. Voltei a revê-lo depois de algumas experiências bdsm e ainda gostei mais do filme e enquanto filme é mesmo muito bom.
      recomendei-o a uma conhecida que tem apetência por algumas práticas bdsm e que também gosta muito de cinema e disse-me depois de o ver que tinha gostado muito. Quando soube que ela ainda não o tinha visto, insisti "violentamente" para que o visse o quanto antes.
      Como já disse, acho-o um clássico e, reportando ao sexo e relações, acho-o de longe melhor filme e mais "honesto" e realista que o Ninfmaníaca de Lars Von Trier, que é excessivamente cerebral e, para mim, absolutamente previsível e fracote.

      Eliminar
    3. Duckman: Vi a 1ª parte do "Ninphomaniac" no cinema e até passei pelas brasas. Nem fui ver a 2ª parte.
      Já viste "As Idades de Lulu?"

      Eliminar
    4. Sim já vi e também gostei.

      nem vás ver a 2ª parte, digo eu. Ainda esperei que na segunda parte o filme trouxesse algo de "novo", mas não, mais do mesmo, metáforas e mais metáforas e todas óbvias, fáceis.
      Ninfomaníaca, para mim é um logro, que só teve "sucesso" por 3 razões: filme de Lars Von trier; tem um título chamativo e usa a palavra "sexo".
      a minha opinião sbre Ninfomaníaca:

      http://showaboutnothing09.blogspot.pt/2
      014/02/vi-ontem-primeira-parte-deste-polemico.html

      http://showaboutnothing09.blogspot.pt/2014/02/depois-de-ter-visto-nifomaniaca-volume.html

      Eliminar