terça-feira, dezembro 15, 2015

“Gone Girl–Em parte Incerta” de Gillian Flyn

Foi sem dúvida, o livro e o filme de 2014, na minha opinião. Gostei tanto, tanto deste argumento que já vi o filme 3 vezes e de todas as vezes, encontro pormenores do livro que da primeira vez me escaparam, ou seja: primeiro vi o filme, depois li o livro e voltei a ver o filme mais duas vezes.

Existem muitos pormenores do livro que não estão no cinema e que nos ajudam a compreender melhor a história, mas mesmo assim, o filme é muito fiel à obra. Eu adoro histórias descritas por mais do que uma personagem e neste temos a versão de Nick e a de Amy.

É uma história muito bem escrita, original e viciante. Não conseguimos parar de ler. Li o livro em meia dúzia de dias pois não conseguia pousa-lo. Talvez para quem está habituado a ler thrillers, este livro acabe por se diluir um bocadinho no meio de tantos outros, mas, para mim, Em Parte Incerta destaca-se completamente dos demais. Não apenas pelo enredo interessantíssimo e pelo perfeito desenvolvimento do mesmo, mas também pela escrita aguçada de Gillian Flynn, pelo humor corrosivo, pela linguagem brusca e crua…

Após terminar este "Gone Girl", comprei as outras obras da Gillian Flyn, "Sharpen Objects – Objectos Cortantes" e "Dark Places – Lugares Escuros" e que posteriormente farei post sobre estes livros.

Sinopse: No quinto aniversário de casamento, Nick Dunne relata que a sua bela esposa, Amy, desapareceu. Sob a pressão da polícia e com um barulho ensurdecedor causado pelos media, o retrato da união feliz de Nick e Amy começa a desmoronar-se. Rapidamente, as mentiras, os enganos e os comportamentos estranhos de Nick fazem com que todos questionem: Será que Nick Dunne matou a sua mulher?

Classificação: 5/5

9 comentários:

  1. Acho que a opinião é unânime: é brutal!

    ResponderEliminar
  2. Também gostei do livro apesar de que, quando o li, já tinha apanhado alguns "spoilers" que preferia não ter ouvido... Nada de muito certo, mas que me levaram a desconfiar de algumas coisas e que me retiraram um bocadinho do prazer que acredito que teria se lesse o livro sem saber absolutamente nada. Ainda assim gostei e também estou curiosa em relação a esses outros dois livros dela!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jo: É por isso que tenho a sorte de ver sempre os filmes assim que eles estão disponíveis. Nunca ninguém me spoilou um filme por isso mesmo. Apresso-me logo.

      Eliminar
  3. Vi o filme e gostei. Agora fiquei cheia de vontade de ler o livro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Purpurina: Nem preciso de apostar que ias gostar muito!

      Eliminar
  4. Adorei o filme, não estava à espera que fosse tão cativante e a banda sonora dá-me arrepios, andei vários dias a ouvi-la. Ainda não tive oportunidade de ler o livro mas quero fazê-lo antes de ver novamente o filme. Até porque tenho sempre a curiosidade em perceber até que ponto os estúdios fizeram um bom trabalho na adaptação, e gosto de complementar algumas lacunas com aqueles pormenores da história que ficam de fora :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isa: Na minha opinião, o David Fincher fez um excelente trabalho, isto porque a Gillian Flyn também ajudou a escrever o argumento do filme; logo não havia maneira de falhar :)
      E sim, com o livro apanhas outros pormenores, sem dúvida.

      Eliminar
  5. Também gostei muito do filme e ainda não tive oportunidade de ler o livro e pelo andar da carruagem é provável que nunca o leia.

    ResponderEliminar