domingo, janeiro 17, 2016

"The Big Short" de Adam McKay (2015)


Para além de ser um filme nomeado para os Oscars e de ter um elenco de luxo: Brad Pitt, Ryan Gosling, Steve Carell e Christian Bale, foi o tema que me chamou mais a atenção. Uma tema sempre actual e que nunca nos faz mal saber um pouco mais. 

O filme explica como começou "a crise", entre 2007 e 2008, mas fa-lo de maneira simples para que o espectador entenda. Obviamente que existem muitos temas práticos, mas aparecem personagens reais, a fazerem delas próprias e que explicam exactamente o significado desses mesmos termos: Robbie Margot, Chef Anthony Bourdain e Selena Gomez.

Este filme baseado no livro de Michael Lewis, mesmo sendo um filme interessante, teve partes um pouco aborrecidas, onde a acção quebra um pouco e acabou por dar-me sono na sala de cinema. 

Achei despropositada a nomeação para Melhor Actor Secundário do Christian Bale. É um excelente actor mas o papel dele aqui é completamente banal e acaba por estar a "roubar" uma nomeação a um qualquer colega com uma melhor prestação. Se tivessemos de escolher alguém neste cast, a melhor interpretação é sem dúvida de Steve Carell.

Sinopse: Michael Burry (Christian Bale) é o dono de uma empresa de médio porte, que decide investir muito dinheiro do fundo que coordena ao apostar que o sistema imobiliário nos Estados Unidos irá quebrar em breve. Tal decisão gera complicações junto dos investidores, já que nunca antes alguém havia apostado contra o sistema e levado vantagem. Ao saber destes investimentos, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) percebe a oportunidade e passa a oferece-la a seus clientes. Um deles é Mark Baum (Steve Carell), o dono de uma corretora que enfrenta problemas pessoais desde que seu irmão se suicidou. Paralelamente, dois iniciantes na Bolsa de Valores percebem que podem ganhar muito dinheiro ao apostar na crise imobiliária e, para tanto, pedem ajuda a um guru de Wall Street, Ben Rickert (Brad Pitt), que vive recluso.

Curiosidades: É o primeiro filme de Adam McKey sem o Will Ferrell. Foi o primeiro filme de Ryan Gosling depois de ter feito um "intervalo" em 2013.

11 comentários:

  1. Deve ser giro. Conheço quase todos os participantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria do Mundo: Não é giro, é um filme ok :)

      Eliminar
  2. Quero tanto ver este... Espero que não me dê sono!! ;)

    ResponderEliminar
  3. Concordo com tudo o que apontaste ao filme. Estava à espera de melhor. Gostei mais do 99 Homes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ozpinhead: Esse ainda não vi mas adoro o Michael Shannon. Não sabia que já andava por aí...

      Eliminar
  4. Vi este filme no domingo. Concordo contigo. Gostei dos apartes que os actores (e "convidados") fazem para a audiência, mas há ali partes em que a cena anda a passo de caracol!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nina Nininha: Ainda bem que não fui só eu que achei isso...

      Eliminar
  5. Além de não achar o tema nada interessante, confesso que não achei o filme nada de especial. Vejo sempre tudo sem legendas, mas neste caso senti falta de um auxílio. A história não era propriamente fácil de acompanhar para quem não percebe absolutamente nada do assunto e o facto de existirem 1001 personagens também não ajuda.

    Quanto à nomeação do Bale, chega a ser ultrajante se pensarmos que o Samuel L. Jackson merecia muito mais e foi completamente ignorado.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo Francisco: Concordo com tudo o que disseste e claro que este filme tem de ser visto com legendas, pois é muito técnico.

      Eliminar
  6. Gostei do filme mas achei que a certa altura queriam dizer muita coisa muito depressa e certas coisas não se percebiam tão bem. Dá para perceber porque é que isto foi tudo ao charco...

    ResponderEliminar