domingo, maio 08, 2016

"Joy" de David O. Russell (2015)


E não sou fan da trupe: David O. Russell, Jennifer Lawrence e Bradley Cooper. Das 4 parcerias que tiveram, "Silver Linings Playbook", "American Hustle", "Serena" e este, nenhum me marcou ou me deixou saudades, mas como em equipa vencedora não se mexe, o gajo continua a apostar nisto. Ou seja, faz um filme deste e é automaticamente nomeado para não sei quantos Oscars e eu não entendo porquê, principalmente nas categorias de Melhores Actores...

Este "Joy" não é um mau filme pois mostra o poder que esta mulher teve, a sua garra, a vontade de nunca desistir, isso é excepcional. O resto, é mais um filme que se vê...

Sinopse: Conta a história de Joy, mãe solteira de 3 filhos, responsável pelo utensílio doméstico, conhecido como "Magic Mop", em 1990. Com o "boom" das vendas, Joy começou a trabalhar no ramo comercial, registando mais de 100 patentes, até se tornar apresentadora de uma canal de compras e depois vender a sua marca por um contrato milionário.

Curiosidades: Foi o primeiro filme dos 4 feitos pela trupe, em que a Jennifer Lawrence ganhou mais que o Bradley Cooper.


6 comentários:

  1. Era para o ver hoje mas vou rever "Revenant" :-)

    ResponderEliminar
  2. Eu vi o filme e no final não me deixou arrependido do dinheiro que gastei mas também não o ia ver de novo. Já estava a ficar farto da história da desgraçadinha mas aquilo lá deu a volta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM: Pensei o mesmo mas a força dela era indestrutível!

      Eliminar
  3. Eu até gostei do American Hustle, mas não percebi o alarido (e as nomeações...) em torno d' O lado bom da vida (acho que era esse o nome em português) portanto estou com algum medo deste, que me parece ser beeem dentro do mesmo género...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jo: Não é o mesmo género porque este é uma biografia. Vê-se...

      Eliminar